A importância do diagnóstico precoce

Médico segura uma réplica de um fígado nas mãos e mostra ao paciente.
O diagnóstico da doença nas fases iniciais é determinante

para um melhor prognóstico no tratamento.

Além da avaliação inicial dos sintomas clínicos, a pesquisa e avaliação das enzimas hepáticas nos exames de rotina da paciente podem auxiliar no diagnóstico prévio. Essa paciente então poderá ser encaminhada a um hepatologista que realizará o diagnóstico diferencial, tratamento e acompanhamento dessa paciente.

O diagnóstico precoce da CBP pode ser feito solicitando-se a dosagem de fosfatase alcalina e gamaglutamil transferase, juntamente com as demais enzimas hepáticas em mulheres acima de 35 anos.

A elevação dessas duas enzimas pode ser um indicativo de doença hepatobiliar, desse modo o encaminhamento para um hepatologista é necessário para a realização do diagnóstico e tratamento adequados.